O Projeto

Praticando Inclusão Social desde 2012, associamos empresas e pessoas atuantes no mercado de Turismo de Aventura com pessoas com deficiências físicas e/ou visual. Dando uma leitura inédita à forma de conhecer o planeta realizamos, expedições no Brasil e no mundo, oficinas e palestras, com a missão de incluir pessoas não deficientes na realidade daqueles que possuem deficiência física, através de uma INCLUSÃO REVERSA.

A INCLUSÃO REVERSA somada à experiências na natureza, é uma poderosa ferramenta de desenvolvimento humano. A convivência diária com uma pessoa com deficiência na natureza desenvolve autoconhecimento do ”eu” com limitações e potencialidades, da necessidade de compartilhar e trabalhar coletivamente e dos paradigmas e preconceitos transformados em crenças ao longo da vida.
As diferenças deixam de ser limitadoras para serem facilitadoras de desenvolvimento humano.

 

Objetivos e Benefícios 

  • Envolver pessoas e organizações, possibilitando um contato direto com a Deficiência;
  • Difundir o Turismo de Aventura Adaptado nas regiões brasileiras com grande potencial turístico, através de palestras, sensibilização dos profissionais de turismo locais quanto as possibilidades e cuidados para atender a população com deficiência;
  • Criar uma nova possibilidade de lazer e sociabilização para o público com deficiência, o Turismo de Aventura Adaptada;
  • Fazer com que a pessoa com deficiência seja protagonista de inclusão.

 

Justificativas 

  • Segundo o Censo Demográfico 2010 dado publicado pelo IBGE, 45,6 milhões de brasileiros declararam ter alguma deficiência constituindo 23,9% da população do país;
  • De acordo com pesquisa do ranking global Best Countries (2016) o ‪‎Brasil é o melhor destino do mundo para o ‎Turismo de Aventura entre 60 países;
  • Necessidade de criar possibilidade de Turismo às pessoas com alguma deficiência;
  • Atender a demanda do Ministério do Turismo Brasileiro quanto ao programa Turismo Acessível, tendo em vista a repercussão das Paralimpíadas e o crescente aumento da procura de pacotes turísticos pelo público com deficiência. O Turismo de Aventura, atualmente cresce no Brasil em torno de 25% ao ano;
  • No Brasil, ainda não existem serviços especializados voltados a facilitar a viagem de turistas com deficiência, seja com familiares ou sozinhas;
  • Um em cada quatro brasileiros requer atenção especial para viajar, seja para providências no embarque e desembarque, como para acomodação adequada e interação com a tripulação durante o voo;
  • De acordo com o Ministério do Trabalho, 307 mil brasileiros com deficiência estão empregados na economia formal, sendo 126 mil, só no Estado de São Paulo, onde 46,7% da cota legal de vagas para trabalhadores com deficiência exigida pela Lei 8.213/1991 foi atingida em 2012;
  • Se for incluída a economia informal, estima-se que de 2 a 3 milhões de pessoas com deficiência exercem atividade remunerada, contribuindo para o orçamento familiar e para a geração de riqueza do país.

 

Plano de Ação

  • Palestras
  • Oficinas Inclusivas
  • Expedições Nacionais
  • Expedições Internacionais